Ioga anal: você conhece?

Ioga anal: você conhece?

ANÚNCIO

Postagem escrita em 19/02/2024

O sexo anal ainda é considerado um tabu para muita gente. E, se tratando desse assunto, um outro assunto similar e bem polêmico é a ioga anal. Você conhece essa prática? Muito adotada pelas pessoas que têm interesse em praticar o sexo anal, mas têm medo da dor, a ioga anal vem colecionando cada vez mais adeptas (os). Isso porque a prática é um auxílio no relaxamento e do preparo da pessoa que terá o seu ânus penetrado.

Afinal, para que o sexo anal seja prazeroso de verdade, é essencial que as partes envolvidas (principalmente a que será penetrada) estejam relaxadas e o mais confortáveis possível com a situação. Caso contrário, o resultado pode ser dor e até algum trauma com relação à prática.

Os exercícios da ioga anal são muito simples e podem ser praticados por casais, que visam vivenciar o sexo anal de maneira bem prazerosa. Você tem interesse? Continue a leitura para as dicas de como praticar com o seu parceiro (a) em casa!

Como praticar a ioga anal?

Como já foi dito anteriormente, é essencial que os exercícios da ioga anal sejam praticados a dois. Funciona assim: a pessoa que terá o ânus penetrado fica de quatro para fazer os exercícios com o auxílio do parceiro (a).

conhecer a anatomia da região

Não adianta nada querer praticar o sexo anal se não se tem pleno conhecimento da região. Por isso, esse é o primeiro passo da ioga anal. É interessante destacar que essa é uma região cheia de terminações nervosas e tão passível de proporcionar prazer como toda a região genital.

Isso acontece porque quando a pessoa se encontra excitada, o tecido que forma o ânus e se estende para dentro do canal anal também se enche de sangue e se torna mais “acolchoada”, sensível, assim como o clitóris, os lábios vaginais e o ponto G (nas mulheres) e o pênis (nos homens).

Nesse ponto alto de excitação, os esfíncteres anais tendem a relaxar quando estimulados e podem se expandir, acomodando perfeitamente um pênis, por exemplo. A sensação de uma penetração mais apertadinha se dá ao longo da passagem pelos dois esfíncteres iniciais.

Passados os esfíncteres do canal anal, é a região do reto. Essa região, em contradição ao seu nome, é curva. Mais um motivo para que a penetração seja feita devagar, de maneira delicada e em uma posição confortável para os dois.

os exercícios

Agora que vocês já conhecem melhor como é a anatomia da região anal, já podem colocar os exercícios em prática. Lembrando que a pessoa que terá o ânus penetrado fica na posição de quatro e quem irá penetrar auxilia na execução dos exercícios.

É importante lembrar que ambas as partes precisam estar relaxadas e entregues à situação, sem pressa e sem medo. E que, quanto mais erotismo atribuírem à situação, mais fácil será relaxar para a execução dos exercícios. E, quem sabe, os exercícios já podem ser uma preliminar para um sexo anal de enlouquecer!

Outro ponto importante para a realização dos exercícios é a utilização de um lubrificante a base de água para os momentos em que for necessária a penetração. Afinal, o ânus não tem lubrificação própria e tentar penetrá-lo sem lubrificante pode ser bem doloroso.

  • Relaxando a região – A pessoa que está de quatro abre bem as pernas enquanto a outra pessoa coloca uma mão em cada nádega. Assim, faz movimentos (podem ser circulares ou “chacoalhando” as nádegas) visando o relaxamento da musculatura da região. Uma vez com a musculatura relaxada, pode iniciar o próximo exercício.
  • Abre tudo – O próximo passo é colocar os dois dedões bem perto do ânus e fazer movimentos como se estivesse abrindo-o. É importante manter a respiração funda e lenta nesse momento. Enquanto isso, o parceiro vai esticando o ânus em todos os ângulos, sempre como se estivesse o abrindo.
  • Penetração com o dedo – Para esse exercício, o uso de um bom lubrificante a base de água é essencial. Com o dedo bem lubrificado, o parceiro (a) deve introduzir um dedo no ânus da outra pessoa, bem devagar, passando pelos esfíncteres e sentindo a curva do reto. Chegando nesse ponto, deve-se aplicar pressão em diversos pontos: para cima, para baixo, para o lado... A pessoa que está sendo penetrada pode aproveitar para falar quais pontos que gosta mais ou menos, pedir para ir com mais pressão ou com menos pressão...
  • Relaxando mais ainda – Depois da penetração com o dedo, o parceiro que fez a penetração deve unir as duas palmas das mãos e coloca-las, juntas, entre as nádegas da pessoa que está de quatro. Assim, deve fazer movimentos para cima e para baixo, visando um maior relaxamento.

um pouco de do-in